Divulgação informativa e cultural da Escola Secundária/3 Camilo Castelo Branco - Vila Real

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Parlamento Jovem

“ Debate dos mais novos por um país melhor”

Nos dias 22 e 23 de maio, decorreu na Assembleia da República mais uma sessão do Parlamento Jovem. Tal como em anos anteriores, os jovens de hoje e os futuros adultos de amanhã demonstraram empenho e cooperação para mostrarem aos políticos que têm uma palavra a dizer, pois são cidadãos preocupados com o futuro do nosso país.
Chegados ao Parlamento, no dia 22 de maio pelas 14 horas e 15 minutos, os jovens “deputados” dos diferentes distritos foram agrupados em comissões e distribuídos por quatro salas. Um elemento de cada comissão fez um discurso de apresentação ao qual se seguiu a comunicação da ordem de trabalhos para aquela que previa ser uma longa tarde. Ao longo das três horas de reunião (com um intervalo de 30 minutos) foram apresentadas as medidas de cada círculo, um debate na generalidade seguido da votação do projeto que serviria de base a cada comissão; seguiu-se um segundo debate na especialidade seguida de uma votação e por fim a seleção de perguntas a apresentar ao plenário no dia seguinte.
Enquanto decorria a reunião dos jovens “deputados”, os jovens “jornalistas” realizaram uma visita ao edifício da Assembleia da República. Foram conhecer a Sala do Passos Perdidos onde lhes foi explicada a sua função e a sua história; seguiram para a Sala das Sessões, onde puderam perceber como é que a as reuniões entre deputados decorriam, desde do local exato onde se sentavam até à forma como eram realizados os debates. No final da visita, dirigiram-se de novo às salas das comissões onde puderam assistir ao fim dos trabalhos, que ocorreu por volta das 18 horas.
No final do dia, depois do convívio proporcionado pelo jantar oferecido no Parlamento, deputados, jornalistas e professores foram divididos por dois hotéis diferentes onde iriam repor e recuperar energias para o dia seguinte.
No dia 23, por volta das 10 horas, foi aberta a reunião plenária com um discurso do Presidente da Assembleia da Republica, do Presidente da Comissão de Educação e pelo Secretário de Estado. De seguida, os jovens “deputados” tomaram os seus lugares e deu-se lugar à colocação das perguntas, por cada comissão, a cada um dos deputados dos seis partidos: Maria Germana Rocha (PSD), Porfírio Silva (PS), Joana Morte-d ’Água (BE), Patrícia Fonseca (CDS-PP), Ana Virgínia Pereira (PCP) e Heloísa Apolónia (PEV). Às onze questões levantadas, os deputados responderam de forma objetiva outras vezes mais evasiva, fugindo mesmo à questão, tendo alguns excedido o tempo limite de intervenção. Quando saíram da sala, os deputados foram confrontados com os jovens “jornalistas”, que abandonaram a bancada da comunicação social, para lhes colocaram um série de questões, a fim de saber a posição de cada partido nas mais diversas áreas.

Entretanto, na sala da Assembleia, foram ouvidas e debatidas as dezasseis medidas, quatro por cada comissão, que apôs aprovação e recomendação passariam a pertencer ao projeto base final a apresentar na Assembleia da República. Dada a demora dos trabalhos, estes foram interrompidos pelas 13 horas para o almoço.
Enquanto decorriam os trabalhos dos jovens “deputados”, os jovens “jornalistas” fizeram parte de uma conferência de empresa, exclusiva, com o Presidente da Comissão de Educação que durou cerca de uma hora ao fim da qual se juntaram aos colegas “deputados” para o almoço. Findo o período de confraternização do almoço, todos os jovens retomaram a sessão plenária.  
O período da tarde pautou-se por um excitante debate ao qual se seguiu a aprovação do projeto que iria a discussão ao parlamento nacional (este pode ser visto no site online do Parlamento Jovem).
Finalizada a ordem de trabalhos do último dia, foram ouvidos os comentários e felicitações dos diferentes círculos, o discurso do deputado Pedro Pintão e o discurso final do Presidente da Comissão da Educação, no qual se pode dar destaque à frase “Nunca tenham medo de arriscar”.
Quando as últimas palavras foram ditas, os jovens “deputados” e “jornalistas” abandonaram a sala de sessões. De tudo a que assistiram, puderam concluir que “é importante que os jovens tenham um papel ativo na vida política”, “nem sempre as melhores medidas ganham”, “que o Parlamento Jovem é uma competição renhida mas no fim não poderia existir melhor convívio”.
Seguiram-se as penosas despedidas, já com saudades das novas amizades…

Maria João Guerra Vilela